A cultura organizacional é um assunto que muitas vezes ouvimos dentro das empresas onde trabalhamos, coisas do tipo, “faz parte da cultura da empresa”, mas o que realmente é a cultura organizacional? E quem é o/a responsável por criar e manter essa cultura?

O QUE É A CULTURA ORGANIZACIONAL?

cultura organizacional é um conjunto de conceitos inventados, descobertos ou desenvolvidos pelo grupo, que guiarão o comportamento e a mentalidade dos membros da instituição. Digamos que são os valores, as crenças, o modo de pensar, as políticas, as práticas, a maneira de se vestir, os conhecimentos que são compartilhados pelos membros da organização e são transmitidos uns aos outros. A cultura da empresa é moldada por cada colaborador, mas, os sócios fundadores e as lideranças são os grandes responsáveis pela criação da cultura organizacional e por comunicá-la, de forma clara, para todos os membros da organização, ou seja, das chefias aos estagiários.

COMO CRIAR UMA FORTE CULTURA ORGANIZACIONAL?

A empresa tem que ser capaz de criar uma cultura forte, que mantenha os seus colaboradores motivados, e a motivação não vem só do ordenado, vai muito além disso, nesta conta também se inclui o salário emocional, o colaborar tem que se sentir valorizado e motivado, quando isso não acontece a equipa começa a trabalhar cada um por si, aumenta a competitividade, muitas vezes faz com que as pessoas procurem outros trabalhos. O funcionário tem que se sentir parte de algo maior, não ter apenas objetivos individuais, mas objetivos de grupo, objetivos enquanto equipa, conhecer qual a missão da empresa, onde os empresários/gerentes querem chegar enquanto empresa.

Para criar e desenvolver uma cultura positiva de alta performance, além de conhecer bem a empresa e os seus membros, é necessário ter em conta os critérios de recrutamento e seleção, é preciso contratar as pessoas certas e qualificadas para os lugares certos.

PROCESSO DE SELEÇÃO, INTEGRAÇÃO E COMUNICAÇÃO

Há quem defenda que a cultura organizacional começa logo no processo de seleção, com o intuito de perceber como os talentos daquela pessoa se irão identificar com as necessidades da empresa, depois do processo seletivo passamos ao segundo ponto importante, se não o mais importante, a integração e a comunicação, comunicar ao novo membro da equipa como funciona o dia a dia da empresa, pois não basta ter o melhor capital humano, o líder tem que direcionar o novo membro com o objetivo de o integrar e dar suporte. É relevante dizer que as informações têm que ser uniformes para todos, a criação de um manual de acolhimento é uma maneira de contextualizar e integrar o novo colaborador, além disso, os mais antigos podem, sempre que tiverem dúvidas, consultar as regras. A título de exemplo, na Alento, todas as manhãs fazemos reuniões para comunicar uns aos outros o que iremos fazer no dia, as reuniões matinais de planeamento do nosso trabalho fazem parte da cultura da empresa.

CLAREZA NOS OBJETIVOS

Para que tudo isto aconteça da melhor maneira possível é necessário clareza nos objetivos, para que as pessoas que fazem parte daquela instituição compreendam as regras e os hábitos que regem a cultura da empresa, e se sintam mais à vontade para colocá-las em prática. Voltando ao exemplo das reuniões matinais na Alento, ao chegarmos à empresa foi-nos explicado, de forma clara, o objetivo dessas reuniões serem diárias e o porquê de estarmos a falar das nossas tarefas. Este tipo de iniciativa melhora o desempenho individual e grupal, sendo uma mais valia para toda a instituição.

DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO

Por fim, o desenvolvimento contínuo, no sentido em que deve existir uma cultura que propicia a aprendizagem de novos temas por parte dos colaboradores. A organização deve mostrar-se aberta a novas ideias e à promoção do envolvimento e participação de todos os membros da equipa.

Agora que sabe como criar e desenvolver uma cultura positiva na sua empresa, já deve ter percebido que cultura organizacional não é só a tradição do jantar de natal, ou a partilha entre os colegas do que fez no fim de semana, é muito mais que isso! Pode parecer que não temos o controlo, mas temos, como você pôde perceber trata-se de um processo estruturado, que em grande parte das vezes podemos controlar.

Cada empresa possui a sua própria cultura, que a faz única, mas não posso deixar de chamar a atenção para a responsabilidade de ter uma boa liderança, pois apesar da cultura ser influenciada por todos os membros da instituição, são os líderes que têm a função de criar, integrar, comunicar e estar abertos a receber ideias das suas equipas.


Like it? Share with your friends!