fbpx

Quer tenha acabado de terminar o secundário, quer já tenha uma vida profissional e queira obter uma habilitação académica de nível superior, a verdade é que o primeiro ano de faculdade será sempre um desafio.

Entre outras coisas, vais ter que te preocupar, por exemplo, com o regime de faltas, com a bolsa de estudos ou com, quando aplicável, o estatuto de trabalhador-estudante. Para que a tua primeira vez seja, de facto, inesquecível, leva estas dicas na mochila.

Dicas para o primeiro ano de faculdade

O primeiro ano de Universidade não vai apresentar apenas desafios de caráter académico. Como caloiro, ser-te-á exigido uma boa dose de competências sociais e, como não podia deixar de ser, uma atenção redobrada à burocracia que o processo de entrada na Universidade sempre comporta:

  • Matricula:

Para que se dê o tiro de partida dessa grande aventura chamada Universidade, terás que tratar do processo de inscrição/matrícula na universidade onde entraste, seja ela pública ou privada.

Assim, independentemente do regime de ingresso que seguiste, como “candidato a caloiro” é-te exigido que efetues a tua matrícula/inscrição no curso em que ficaste colocado. Só desta forma conseguirás obter a condição de estudante.

É também ter em mente que as idas à secretária ou ao gabinete do aluno da faculdade que estarás a frequentar tornar-se-á recorrente enquanto estiveres matriculado, uma vez que todos os anos os estudantes devem efetuar, dentro dos prazos estipulados por cada universidade, a inscrição nas unidades curriculares do seu curso.

  • Horários

Ao contrário do ensino secundário, os horários em contexto do ensino superior são bastante flexíveis e podem ter diferenças substanciais entre alunos da mesma turma. Entre outras coisas, isto deve-se às cadeiras (disciplinas) opcionais que cada estudante escolhe dentro do curso, ao número de alunos matriculados no primeiro ano ou ao regime que o estudante tem.

Por exemplo, é normal um trabalhador-estudante precisar de um horário mais compatível com o seu horário de trabalho. Se este é o teu caso e ainda existam vagas e oportunidade, é possível mudares para uma turma, dentro do mesmo curso, com um horário mais compatível com as tuas necessidades.

É importante ainda referir que em algumas universidades e cursos existe ainda o horário pós-laboral. Neste regime, aulas são dadas a partir do final de tarde ou até mesmo à noite para facilitar a vida dos jovens trabalhadores.

Podes tratar de tudo isto junto do gabinete dos serviços académicos da faculdade onde entraste, local onde poderás ainda verificar quais os horários das turmas do curso onde te inscreveste.

  • Estatuto trabalhador-estudante

Nem todos os que entram no primeiro ano de faculdade se podem “dar ao luxo” de se preocuparem unicamente com as aulas e as festas universitárias.

De entre os inúmeros alunos que todos os anos chegam pela primeira vez às universidades portuguesas, muitos têm que trabalhar para poderem pagar as propinas e outros, já inseridos no mercado de trabalho, têm que conciliar as duas atividades pedindo, por isso, o estatuto de trabalhador-estudante.

Para obterem este estatuto, os estudantes deverão comprovar perante o empregador a sua condição de estudante, apresentando igualmente o horário do curso e claro, o aproveitamento final de cada ano letivo.

O regime aplicável ao trabalhador-estudante é o que consta no artigo 89º do Código do Trabalho, considerando-se assim trabalhador-estudante o trabalhador que frequente qualquer nível de educação escolar, bem como curso de pós-graduação, mestrado ou doutoramento em instituição de ensino, ou ainda curso de formação profissional ou programa de ocupação temporária de jovens com duração igual ou superior a seis meses.

Caso lhes venha a ser conferido o estatuto, os estudantes vão poder usufruir, entre outras, da possibilidade de dispensa de trabalho para frequência de aulas, da prestação de provas de avaliação e de um regime específico de férias e licenças.

  • Regime de faltas

Com a entrada em vigor do Processo de Bolonha, o regime de faltas alterou-se substancialmente.

Apesar de existir controlo de faltas em algumas faculdades e cursos no pré-Bolonha, a verdade é que a maioria dos estabelecimentos de ensino superior não fazia disso um caso de muita importância, afinal de contas estamos a falar de adultos que sabem quais são as suas responsabilidades.

Porém, a situação alterou-se e se há faculdades, cursos e professores que continuam a não dar demasiada importância às faltas, o nosso conselho é que frequentes as primeiras aulas para perceber qual a tolerância em cada unidade curricular.

  • Bolsa de estudos

Se estiveres a concorrer ao ingresso no ensino superior através do concurso nacional de acesso e seja a primeira vez que pretendes concorrer à atribuição de uma bolsa de estudos, poderás solicitar as tuas credenciais (código de utilizador e palavra-chave) aquando da candidatura ao ensino superior.

Para isso, deves seguir as instruções que irás receber no teu email com a “Notificação de receção de candidatura ao acesso ao ensino superior”. 

Além desta forma, as credenciais de acesso para efeitos de bolsa de estudo também poderão ser solicitadas nos Serviços de Ação Social ou Gabinete de Ação Social da tua instituição de ensino superior (após matrícula e inscrição).

Com tudo isto interiorizado, é altura de acalmarmos a ansiedade natural que possa, eventualmente, se estar a apoderar de ti e dar-te algumas dicas sobre a forma de tirares o máximo partido da experiência única que é o primeiro ano de faculdade.

  • Evita faltar

Além do que já referimos na parte do regime de faltas, os primeiros dias são fundamentais no teu processo de adaptação e integração numa nova realidade. É neste momento que terás oportunidade de travar os primeiros laços de “fraternidade académica” e, quem sabe, dar o pontapé de saída numa amizade para a vida, bem como participar nas “festas de recepção ao caloiro” que acontecem por esses dias.

Para além disto, os primeiros dias são também essenciais para conheceres os sistemas de avaliação, tipo de exames e aceder à informação essencial para orientar os seus estudos.

  • Organiza o teu tempo e dinheiro

Se já entraste em stress com a matéria que tinhas para estudar nos exames nacionais, é melhor ires te preparando para teres isso multiplicado por dez. Para que a matéria não se acumule e deixes tudo para a véspera dos testes ou exames, terás que gerir muito bem o teu tempo.

Isto implica reduzir no consumo de série, jogos e saídas à noite. Estes momentos de lazer devem ser a tua recompensa pelo trabalho realizado.

Para além das distrações, a organização deve estender-se, igualmente, à parte financeira, uma vez que há propinas para paga.

Caso sejas bolseiro, isto vem com um peso acrescido, uma vez que se não conseguires fazer os créditos necessários a transitar para o segundo ano, deixas de ser elegível para bolsa de estudo, o que significa que terás que desembolsar do teu próprio bolso o valor das propinas.

  • Sê tolerante e aceita a diversidade

A Universidade é de todos e, simultaneamente, não é de ninguém. Isto significa que, independentemente da idade, etnia, nacionalidade, orientação sexual ou ideologias políticas, todos cabem na Universidade e tu vais ter que conviver com isso. 

Aproveita para alargar os teus horizontes através das experiências destas pessoas, sê tolerante e aprende com o que esta diversidade de experiências te pode ensinar.