As nossas ações são determinadas por dois tipos de competências: soft skills e hard skills. Estes anglicismos referem-se, especificamente, a habilidades adquiridas que nos permitem concluir com êxito uma tarefa.

Ainda que em parte dessas tarefas não estejamos sempre conscientes do seu auxílio, a verdade é que estas competências são a base do sucesso nas relações interpessoais e profissionais e, dificilmente, uma pode passar sem a outra.

Enquanto as soft skills dizem respeito às competências comportamentais e sociais de um indivíduo como a criatividade, a paciência ou a capacidade comunicativa. As hard skills levam-nos para um campo mais técnico que vamos ficar a conhecer mais em pormenor já de seguida.

O que são Hard Skills?

Hard skills correspondem às competências técnicas que adquirimos por via do ensino regular (ensino básico, secundário e superior), formações específicas ou trabalho. Estas habilidades técnicas podem ser validadas através de testes objetivos ou pela apresentação de um certificado de conclusão de curso. Estas são também as mais valorizadas numa entrevista de emprego.

Por isso, aquando da criação de um currículo, os candidatos a emprego devem especificá-las nas áreas de experiência académica ou formativa, experiência profissional (quando adquiridas em contexto laboral) ou, no caso das línguas faladas, na área de proficiência linguística junto com o certificado que o comprove.

Exemplos:

  • Licenciatura, Mestrado, Doutoramento, Pós-Graduação, etc.
  • Cursos técnicos
  • Manuseamento de ferramentas, operação de máquinas, etc.
  • Escrita
  • Domínio de PHP
  • Domínio de SPSS
  • Photoshop avançado
  • Domínio de Excel avançado
  • Certificação Cisco
  • Certificação SAP
  • Programação
  • Contabilidade
  • Estatística
  • Proficiência em francês avançado, inglês comercial, espanhol, etc.

Quais são as Hard Skills mais valorizadas?

A valorização de cada hard skill para efeitos de emprego está dependente do cargo e tipo de função a ser desempenhada pelo profissional dentro da empresa. Por exemplo, no caso de uma proposta de trabalho para atendimento a clientes estrangeiros, o inglês avançado será o mais valorizado. Já no setor fiscal de uma companhia, conhecimentos sobre legislação tributária são considerados uma hard skill desejável.

De modo a avaliar as competências técnicas de cada candidato aquando de um processo de recrutamento, a equipa de recursos humanos da empresa contratante conduz, entre outros, processos de avaliação de conhecimento e testes específicos. Todavia, o processo não termina aí. Em caso de avaliação positiva, as hard skills do candidato serão novamente postas à prova numa entrevista.

Emprego: Hard skills vs Soft skills

Raras são as propostas de emprego em que as soft skills não tenham peso. Hard skills e soft skills são duas faces de uma mesma moeda e dificilmente podem viver uma sem a outra, afinal de contas as pessoas não são autómatos ou ilhas isoladas que possam passar sem a interação com outros seres humanos.

Mesmo em áreas com características mais individualistas como a programação, um programador consegue programar da mesma forma em diferentes empresas (hard skills), mas pode já não conseguir comunicar e explicar o que fez da mesma forma (soft skills) a colegas programadores e a superiores da empresa.

Este equilíbrio torna-se nota dominante nas entrevistas de emprego que sucedem a seguir aos processos de triagem curricular e de avaliação de conhecimentos. Neste ponto, não serão só as competências técnicas que estarão em cima da mesa. O candidato terá que convencer a entidade empregadora que tem um perfil comportamental e emocional ideal. Além disso, também tem de conseguir convencer que se enquadre nas necessidades e filosofia da empresa.


Like it? Share with your friends!