O curriculum vitae (CV) é uma ferramenta fundamental no processo de recrutamento. Nesse documento vertemos as nossas habilitações académicas, experiências profissionais e competências técnicas e com elas esperamos marcar a diferença na altura da seleção para um novo emprego.

Apesar do modelo de CV Europass ter uniformizado o seu preenchimento, a verdade é que somos sempre confrontados com algumas dúvidas na altura da sua elaboração. Será que devo incluir uma experiência profissional que nada tem a ver com o âmbito do trabalho a que me candidato? Estarei a sobrevalorizar as minhas competências? Qual é o tamanho correto do currículo?

Estas e outras questões afloram, normalmente, à mente de quem se senta para escrever o seu curriculum vitae. Queremos a todo o custo que reparem em nós, que o nosso CV seja o escolhido pela entidade empregadora, mas há certas regras que devemos observar e conteúdo que devemos obrigatoriamente incorporar, de modo a construirmos um currículo verdadeiramente atrativo e diferenciador. Para tal, fique a descobrir o que não pode faltar no currículo.

Regras a observar na construção de um currículo

  • Informações relevantes: refira todas as informações que salientem as suas mais-valias e aumentem as possibilidades de obter uma entrevista;
  • Adapte o seu CV ao emprego para o qual se candidata. Inclua palavras-chave sobre a função, valores e cultura da empresa a que se candidata;
  • Tente reduzir o seu CV a duas folhas. Não dê erros ortográficos e utilize verbos dinâmicos e ativos como organizar, presidir, ensinar, etc.;
  • Organize o seu CV em secções claras (por ex. dados pessoais, formação, experiência profissional, observações, etc.). Um CV funcional junta qualidades e características por área relevante;
  • Coloque bastantes espaços em branco para o tornar mais legível.;
  • Dê peso às suas experiências com exemplos concretos. Por exemplo, indique concretamente como, no passado, demonstrou o seu espírito de equipa ou onde já aplicou a sua capacidade de perseverança. Retire detalhes desnecessários e resuma experiências pouco relevantes;
  • Um CV cronológico fornece uma listagem da sua formação e experiência de acordo com uma sequência lógica no tempo;
  • Seja honesto e transparente. Mentir na elaboração do CV pode garantir-lhe uma entrevista de emprego, mas pode ter consequências negativas. Isto acontece, normalmente, com as competências linguísticas. Se o trabalho ao qual se candidata exige uma proficiência elevada numa determinada língua, o melhor que tem a fazer é não inventar, pois irá ser confrontado com a necessidade de comprovar o que afirmou;
  • Elabore uma versão compatível com dispositivos móveis. É muito provável que a pessoa para quem enviou o CV o leia num telemóvel ou tablet.

O que não pode faltar no currículo

Entre o conteúdo que deve incluir no CV estão coisas tão variadas como os dados pessoais (morada, número de telefone/telemóvel, etc.), resultados académicos, experiência profissional ou até perfis em redes sociais. Vamos ver em pormenor o que não pode faltar no currículo.

Dados pessoais

Nome, contactos, fotografia, nacionalidade, local de residência são fundamentais. Deve ter algum cuidado no momento de escolha e seleção da fotografia escolhida para o seu currículo, pois esta deve ser bastante profissional.

Perfil do LinkedIn

As redes sociais são um fator incontornável na nossa vida e podem servir de fator diferenciador na altura do recrutamento. Incluir uma rúbrica de “dados pessoais” um link para o LinkedIn, rede social orientada para o mercado laboral, é uma mais valia pois dá ao empregador um rápido acesso à sua experiência profissional (pode, em alguns casos, até substituir-se ao CV).

Criar um perfil nesta rede social é fácil e rápido e acaba por dar um ar mais moderno ao seu CV.

Experiência Profissional

No preenchimento deste campo deve adotar uma formulação cronológica, isto é, deve partir sempre do trabalho mais recente para o mais antigo. Apesar dos recrutadores analisarem todo o conjunto, acabam por valorizar mais a última experiência profissional que teve.

É obrigatório descrever as suas funções, elencar as responsabilidades e apresentar, se possível, alguns dados quantitativos que revelem o seu sucesso nas diferentes funções que desempenhou. Esta informação deve ser acompanhada de uma descrição sucinta das empresas onde trabalhou (ramo de negócio, morada, etc.).

Educação

Apresentar sempre o percurso académico por escala de importância: doutoramento, mestrado, licenciatura, etc. Dele deve constar os resultados académicos, eventuais prémios ou trabalhos de relevo executados durante o percurso académico que possam ser mais-valias para o trabalho a que se candidata.

Esta informação é normalmente colocada após a experiência profissional, mas, se quiser seguir uma ordem cronológica, poderá colocá-la antes. Nos casos em que o percurso educacional não seja muito relevante provavelmente a melhor opção é aparecer depois.

Competências linguísticas

Em trabalhos indiferenciados e que peçam baixas qualificações académicas, este campo é marginal e pode ser omitido, mas em áreas mais técnicas ou de atendimento ao cliente, a proficiência linguística adquire importância extrema.

Não sobrevalorize as suas competências e faça uso da ferramenta de autoavaliação do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR). Caso disponha de certificados de proficiência em alguma língua especifica adicione-o à secção de Anexos.

Cartas de Recomendação

Sempre que troque de emprego peça, caso o seu trabalho tenha sido apreciado na empresa em questão, uma carta de recomendação ao seu superior hierárquico. A carta de recomendação acaba por funcionar como uma promoção das suas capacidades profissionais com a vantagem de ser elaborada por terceiros.

A carta de recomendação ou contactos dos seus superiores de empregos anteriores devem ser adicionados diretamente no CV na secção de Anexos.

Interesses e hobbies

Nem todos os seus interesses devem ter a honra de serem incorporados no CV. Adapte as suas experiências não profissionais, interesses ou hobbies ao emprego a que se candidata. Se faz voluntariado, por exemplo, esta informação pode ser útil num processo de recrutamento para uma empresa que opere no ramo do apoio social.

Anexos

É indispensável colocar os anexos, que dizem respeito às certificações, no CV. Estes documentos ajudam os recrutadores a verificar a informação que lhes transmitiu nos campos anteriores e podem ser a diferença entre ficar com o emprego ou não.

Isto torna-se particularmente importante em concursos para a função pública, uma vez que neste processo de recrutamento, os certificados valem pontos para a classificação final dos candidatos.


Like it? Share with your friends!