O que são Soft Skills?

Muito provavelmente já ouviu falar neste conceito, pois é tido cada vez mais em consideração no mercado de trabalho. Mas sabe realmente o que são soft skills? Soft skills é o nome que se dá às habilidades intrínsecas que cada indivíduo possui. São competências adquiridas por experiências vivenciadas ao longo do tempo, experiências essas que não são aprendidas através de cursos, faculdades, escolas ou empregos (hard skills). Estas nascem consoante as experiências, cultura e educação de cada um.

O que são Hard Skills?

Este conceito é exatamente o oposto de Soft Skills. Hard Skills, são todas as competências técnicas adquiridas que se coloca num currículo. Ou seja, correspondem a todas as ferramentas e conhecimentos profissionais que são ensinadas no decorrer dos processos de aprendizagem.

Desta forma, pode-se determinar se um determinado profissional possui hard skills, através da realização de testes práticos ou até mesmo se este for questionado sobre a sua formação, os livros lidos pelo mesmo e os cursos que participou ao longo da sua carreira.

Qual a importância das Soft Skills?

Além das aptidões técnicas de um profissional, as capacidades comportamentais têm cada vez mais importância no desempenho de cada indivíduo. Qualquer tipo de trabalhador, independentemente da profissão que exerce, necessita de interagir com outras pessoas, seja dentro do seu ambiente de trabalho ou fora dele.

Deste modo, quanto mais desenvolvidas forem as soft skills de cada pessoa, maior irá ser o seu controlo emocional, conseguindo, assim, tirar o melhor proveito possível das capacidades que domina.

Importância das Soft Skills no Mercado de Trabalho

No que toca à atividade profissional, as soft skills também são associadas à forma como cada indivíduo se relaciona e interage com outras pessoas, como estas afetam as relações num ambiente de trabalho e, ainda, por consequência, como estas afetam toda a produtividade de uma equipa.

O facto das soft skills serem mais complicadas de se aprender do que as hard skills, leva a que, atualmente, no mercado de trabalho, estas competências sejam mais valorizadas pelos empregadores chegando muitas vezes a ser um fator decisivo no processo de tomada de decisão na admissão de um novo colaborador para uma empresa.

Esta é uma das razões que faz com que, muitas vezes os empregadores optem por dar preferência a candidatos que possuam uma excelente competência em se relacionar com outros indivíduos, por exemplo, ao invés daqueles que detém de um elevado nível de inglês. Os empregadores, consideram que seja mais simples aprender um idioma diferente (uma competência considerada essencialmente técnica), do que aumentar a capacidade de relacionamento (uma competência considerada comportamental).

Para além disso, todos os indivíduos que compreendem um elevado número de conhecimentos técnicos na sua área de especialização e os conseguem conciliar às suas soft skills, vão, com certeza, destacar-se dos desmais, pois possuem algo que os diferencia e que é bastante valorizado pelo mercado de trabalho.

Soft Skills mais valorizadas no Mercado de Trabalho

Agora que já conhece a definição de soft skills e a sua importância, resta-lhe saber quais as soft skills mais valorizadas no mercado de trabalho. Para isso, necessita de saber quais as competências que os empregadores mais procuram e tentar desenvolver essas competências ao máximo.

Com isto, lembre-se também de as colocar no seu currículo e na sua carta de apresentação, assim como, realçá-las durante a sua entrevista, pois estará a aumentar as suas hipóteses de ser contratado.

1. Criatividade

O pensamento criativo, é uma competência que tem vindo a ser bastante valorizada no mercado de trabalho, pois quando se tem de resolver problemas numa empresa, a criatividade é utilizada para se conseguir pensar em diferentes soluções. As pessoas criativas, conseguem desenvolver, mais facilmente, diversas saídas para qualquer problema que surja e isso assegura rapidez nos processos internos.

Existem pessoas naturalmente mais criativas do que outras. Apesar de no mercado de trabalho, por exemplo, um funcionário mais criativo conseguiria pensar em alternativas mais rapidamente para responder a uma crise, a criatividade pode vir a ser aperfeiçoada com a prática (apesar de ser bastante difícil para certos indivíduos), através de conhecimentos sobre determinados assuntos, resiliência e até mesmo as próprias experiências profissionais.

2. Comunicação Eficaz

Comunicar é muito mais do que falar o mesmo idioma. Uma boa comunicação assegura que tanto o comunicador como o interlocutor se entendam. Para além disso, uma  comunicação eficaz faz com que se consiga transmitir para outro indivíduo, exatamente o que se está a querer dizer. Quando isso acontece, a pessoa torna-se capaz de comunicar para os mais variados tipos de público e, eventualmente, atingir os objetivos que idealizava com a comunicação.

No entanto, uma boa comunicação também implica saber ouvir atentamente o outro, saber escrever, saber comportar-se em diversas situações, ter uma boa capacidade de interpretação e saber trabalhar em equipa.

Com isto, para uma comunicação eficaz, não basta saber falar bem, é necessário também que exista capacidade de liderança e de persuasão.

3. Liderança

Saber liderar faz toda a diferença no mercado de trabalho, esta capacidade faz com que um profissional se consiga destacar do demais colaboradores. Liderança é uma característica fundamental num trabalhador, uma vez que considerada o produto da junção de todas as restantes competências.

Como referido anteriormente, é praticamente impossível ser um bom líder sem uma excelente capacidade de comunicação, sem predisposição para trabalhos em equipa e, ainda, sem empatia ou criatividade. Conseguir alcançar a liderança e saber como transmiti-la faz com que excelente profissionais se organizem como uma equipa, assumam responsabilidades e consigam explorar o melhor de outras pessoas.

Neste momento o mercado de trabalho encontra-se à procura de líderes proativos, capazes e independentes. Numa entrevista, o empregador vai tentar descobrir se um indivíduo possui a capacidade de resolver problemas e conflitos entre pessoas e tomar as devidas decisões executivas.

4. Trabalho em Equipa

Trabalho em equipa é uma competência que tem vindo a ganhar maior relevância no mercado de trabalho, ao longo dos tempos. Sabermos trabalhar com as pessoas que nos rodeiam é fundamental, quer seja para a realização de projetos colaborativos ou na participação de reuniões de departamento.

Pessoas com capacidade de trabalhar em equipa têm de ter a mensagem “juntos são mais fortes” sempre presente nas suas cabeças, pois nessa situação é imprescindível que todos trabalhem interdependentes com um único objetivo comum.

Para além disto, estes indivíduos também costumam ser pessoas flexíveis, que valorizam outros ponto de vista diferentes dos seus, conseguem identificar divergências existentes e adaptam-se com facilidade às necessidades e objetivos da equipa.

5. Adaptabilidade

Como o próprio nome indica, adaptabilidade é uma soft skill referente à capacidade de um indivíduo se adaptar às diversas necessidades, situações e circunstâncias que vão surgindo ao longo da vida profissional e não só.

Um colaborador com esta competência requer uma boa gestão de mudanças, ou seja, tem de ser capaz de reagir de forma assertiva às mudanças que possam aparecer independemente do seu contexto e pensar na mudança como uma oportunidade de crescimento.

6. Inteligência Emocional

Soft skills estão diretamente relacionadas com a inteligência emocional de um indivíduo, um fator bastante interessante em qualquer tipo de atividade profissional, que envolve não só aptidões mentais, como emocionais e sociais.

Uma boa dose de inteligência emocional é precisa no mercado de trabalho, onde se lida com um elevado número de pessoas todas diferentes e, também, com diversos cenários diferentes.

7. Ética de Trabalho

Esta última soft skill, a ética de trabalho, é um processo deveras complicado de ensinar. Esta é uma aptidão que todos os empregadores têm em mente quando estão a contratar um colaborador para a sua empresa, razão esta que leva muitas empresas a dar preferência a candidatos que conseguem provar essa capacidade no decorrer do processo seletivo.

Para além disso, indivíduos que possuem esta competência costumam manter uma postura relativamente à sua pontalidade e responsabilidade de todo o trabalho, isto é, terminam as tarefas exigidas durante o prazo delineado, mantém o foco e são altamente organizados.


Like it? Share with your friends!